domingo, 7 de setembro de 2008

Era Uma Vez... de Breno Silveira

Romeu e Julieta no morro...
Ontem eu fui assistir ao belíssimo filme Era Uma Vez..., de Breno Silveira (2 Filhos de Francisco). A fotografia é lindíssima, o enredo é nada mais do que uma competente releitura do clássico de Shakespeare, a interpretação não deixa nada a desejar (com um destaque para o Thiago Martins), a trilha sonora é excelente e a direção é em parte boa, mas com alguns defeitos que poderiam ser evitados.
O filme aparentemente conta apenas a história romântica do casal, mas existem dois enredos paralelos se desenvolvendo ao mesmo tempo durante o filme. O principal é a história de amor entre Dé, interpretado pelo talentoso Thiago Martins (Belíssima), e Nina, interpretada por Vitória Frate (Alta Estação). O secundário é o história dos irmãos Dé e Carlão, interpretado por Rocco Pitanga (Caminhos do Coração).
Dé e Carlão são dois irmãos com uma considerável diferença de idade, que moram na favela do Cantagalo, em Ipanema. Quando Dé era pequeno, ele ajudava seu irmão a vender cachorro quente, mas uns meninos da favela roubavam seu dinheiro as vezes. Até que Dé fica com raiva, pega um revolver de um velho e resolve matar um desses meninos, o líder. Mas Dé é um menino ético e honesto e não consegue. Dé carrega o revolver na mochila e um dia durante uma batida a polícia acha a arma e prende Carlão, achando que a arma era dele.
O filme dá um salto no tempo e Dé agora já é um adolescente, trabalhador, que trabalha em um quiosque em Ipanema. No prédio em frente à praia, mora Nina. Dé passa os dias admirando-a até que uma noite Nina termina com seu namorado, e chateada vai se sentar em um banco a beiramar. Um bando de meninos mal-encarados a vem e começam a ir em sua direção para assaltá-la. Dé percebe tudo a tempo e salva Nina, a levando pro seu prédio. A partir dai começa um jogo de conquista, com Dé fazendo se passar por menino rico (as partes mais engraçadas do filme), para conquistar Nina. Mas em determinada hora ele é desmascarado, se magoa e o jogo se inverte: agora é Nina que tentará conquistá-lo. Até que o amor fala mais alto e eles finalmente ficam juntos. Nessa parte o enredo principal estagna por um momento para o enredo secundário poder se desenvolver.
Carlão é libertado da prisão e começa um plano para tomar o morro, ajudado por outros bandidos e pela própria polícia.
O enredo secundário se desenvolve mais um pouco até que os dois enredos se unem de uma maneira surpreendente e decisiva para o encerramento da história.
Ainda que não seja tão aparente, todos os elementos de Romeu e Julieta estão lá, apenas não sempre tão aparentes. Não temos, por exemplo, as duas famílias rivais. O que exerce esse papel no filme são as classes sociais, responsáveis por separá-los. O antagonista continua o mesmo nas duas histórias: o Destino.
Já estou mais do que saturado de novelas/filmes/séries no Rio de Janeiro, mas para este filme ele é mais do que perfeito, pois lá a favela é extremamente perto dos bairros abastados, coisa que não acontece em São Paulo, por exemplo. Isso gera a fala que eu achei a mais linda do filme, quando Nina vai visitar a casa de Dé, e ele mostra a vista do quarto dele para ela, mostrando inclusive o prédio dela. Então Nina diz "Nossa é perto" ao que Dé responde "Eu acho longe".
Quanto à interpretação, devo é claro ressaltar o ótimo trabalho de Thiago Martins, em um papel muito difícil e que exige muito, ele faz um Dé que dificilmente sairá da cabeça de quem assistiu. Vitória Frate não deixa a desejar, ainda que deixe uma sensação que poderia ter entregado mais, e com certeza fica apagada ao lado de Thiago Martins. A interpretação de Rocco Pitanga é muito boa também, fazendo até a gente esquecer os outros papéis que ele já interpretou.

Acabo essa resenha deixando um convite para todos que não assistiram esse bélissimo filme, vale a pena ir ao cinema.

E é claro, vou deixar o download da música mais bonita do filme:
Claudinho e Buchecha - Fico Assim Sem Você

4 comentários:

_DrigãO_ disse...

Ai ai... você me deixou com vontade de ver esse filme, ainda mais que estou numa fase romântica ^^.
Mas acho que não vai passar aqui em Joinville ><.
nha...

Nina disse...

Então Nina diz "Nossa é perto" ao que Dé responde "Eu acho longe".

Eu nem vi o filme, mas visualizei a cena! Isso tem 1 carga de simbolismo absurda... o.o'

Vou anotar pra ver! ^^

=*

Nivy disse...

Oi meu fã idolo, xD
escrevi mais um post, o proximo vc pode considerar dedicado à vc...
mas só será escrito quando eu conseguir um tempinho.
bjss**

Yasmin disse...

OMG!

Fiquei com vontade de ver o filme! *_*

Bons filmes brasileiros são jóias raras. :)

Adorei o blog.

Pode te add, eriooool? XD

Beijo, Loth.