quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Uma hora o ônibus tem que passar

Há oito anos espero meu ônibus passar. Mas não é qualquer ônibus, pois o meu tem um destino certo: a Felicidade.

Quando era pequeno, já fui várias vezes para lá. Quando somos pequenos, nossos pais, avós, familiares nos levam em seus carros. Mas conforme vamos envelhecendo, ficamos orgulhosos, e não admitimos mais ir de carro, queremos pegar nossos próprios ônibus. Mas já estou esperando o meu a muito tempo.

Um ano atrás, passou um ônibus para lá, dirigido por um lindo motorista negro de olhos ternos. Peguei aquele, mas no meio do caminho comecei a duvidar se queria mesmo ir para a Felicidade. Acabei descendo apenas três pontos depois.

Um pouco depois de descer, apareceu um ônibus que eu achei que poderia me levar à Felicidade, seu motorista era alto, usava um cabelo moicano e era muito divertido. Fiquei por muito tempo na dúvida se ele poderia realmente me levar, e acabei perguntando ao motorista. “Não, não passamos perto da Felicidade, me desculpe.”

Fazer o quê? Me decepcionei, mas não havia outro remédio senão esperar o próximo. Nesse ponto eu já havia perdido as esperanças, achei que eu havia descido do único ônibus que ia pra Felicidade. Foi então que parou um ônibus, assim de livre e espontânea vontade. O lindo e simpático motorista me disse que aquele ônibus passava na liberdade, e eu poderia pegá-lo se quisesse. Aquilo quase me pareceu uma pegadinha. Pensei bastante até que achei melhor não desperdiçar a chance. Entrei. Assim que entrei ele riu de mim, e disse que aquele ônibus não passava na Felicidade, que ele só me pregou uma peça.

Logo atrás desse veio outro ônibus, já tinha visto este motorista antes, mas ele nunca passou no ponto em que eu estava. Ele era muito simpático e me disse que adoraria me levar, mas seu ônibus estava lotado. Fiquei muito triste, depois de tantos ônibus errados, quando passa o ônibus certo, ele está lotado.

Agora parou um ônibus sem destino no ponto. A beleza do motorista me deixa atordoado. Tenho medo porque não sei realmente para onde ele vai. O motorista as vezes deixa de olhar o horizonte e me olha com seus lindos olhos, como se me desafiasse a perguntar para onde aquele ônibus vai. E no momento seguinte ele volta a fitar o horizonte. Essa troca de olhares perdura por dias, hesito em perguntar o destino daquele ônibus. Se o destino dele não for realmente a Felicidade ficarei muito decepcionado, depois de tanto tempo esperando o tal ônibus e ele não vem. Seu motorista tem realmente a cara de alguém que dirigiria o ônibus para a Felicidade, mas será que é? Então aqui fico eu, admirando o belo motorista, criando coragem para descobrir para onde aquele ônibus vai. Será que vai...?

4 comentários:

Lívia Lunardi disse...

Cheio de segredos nas entrelinhas...

sussega xuxu!!
o ônibus certo vai aparecer sim!

beijoooo

_DrigãO_ disse...

Hum... Ônibus vêm e vão a todo momento, o seu é um muito especial, sim, já o vi passando alguma vez por aí. E aahh, um detalhe muito peculhar sobre esse ônibus em questão é que ele sempre se atrasa.
Então não se preocupe, ele virá, só está atrasado. Quem sabe não é este que está parado na sua frente agora?

Abração Maaaa ^^

Te adoro.

Jorge Estel disse...

uhm... em oito anos, você poderia ir à pé até Felicidade... não seria tão confortável quanto estar em um ônibus, mas como eu escrevi, Se não fosse difícil (...) o gostinho depois não seria tão ambrosia e mel, suponho. Movimente sua vida! =D

Falando nisso, se vc clicar no título da música no meu blog, vai assistir a um vídeo de Mantra. Confira!

Abraços

Nina disse...

Hum... o meu anda atrasado... Mas eu sou paciente... ^^

=***